sábado, 5 de março de 2011

Filosofia, religião, ciência, poesia ou apenas palavras vazias?

Sono
EDUARDO DE ARAÚJO BENTO

Amanheceu e agora vamos dormir;
Toda existência é o nosso lugar...
Proliferar versos que não são mais,
Quimeras mil de adoração, vida e paz.
A escuridão transcendeu nossa luz,
Possivelmente não tem como chegar;
Não há final nem perfeição que reluz,
Considerar a finitude de amar.
Vamos fechar os nossos olhos enfim
E uma dezena agora nós vamos contar:
Um, dois, três, quatro
Cinco, seis, sete, oito, nove, dez...
Nove, oito, sete, seis
Cinco, quatro, três, dois, um.

5 comentários:

  1. Belo port, meu caro. Apenas palavras vazias, com certeza não são!

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. A plenitude dos versos compostos de forma suave transcendem em uma imagem que faz com que as palavras se deleitem em uma bela imagem...

    Lindos versos...

    ResponderExcluir